segunda-feira, 27 de maio de 2013

Fernandão

Fernandão chegou ao Inter em 2004 e logo no seu primeiro jogo marcou o milésimo gol em grenais. Aquele seria o marco da chegada de um eterno ídolo colorado. A liderança técnica e o comando dentro do campo fizeram de Fernandão uma referência durante os 4 anos em que defendeu a camisa vermelha. De tudo o que se pode esperar de um capitão, Fernandão fez melhor. A sua imagem levantando a taça do mundial de 2006  não sairá da memória nem dos murais do Inter ao longo dos séculos. De 2004 a 2008, conquistou os principais títulos que o clube poderia almejar, a tríplice coroa (Libetadores e Mundial 2006 e Recopa 2007), sendo ainda campeão gaúcho em duas oportunidades (2005 e 2008) e campeão da Dubai Cup (2008).

quarta-feira, 22 de maio de 2013

D'Alessandro

D'Alessandro chegou ao Inter no ano de 2008 e logo apresentou suas credenciais de craque quando comandou a equipe na conquista da Copa Sulamericana. O estilo combinando habilidade, combatividade e coração, conquistaram a torcida colorada desde o início da sua passagem pelo Beira-Rio. Atualmente, é sem dúvida, o melhor e mais expressivo jogador do elenco colorado. D'ale tem se tornado um colecionador de títulos e marcas pelo colorado nestas cinco temporadas que está no clube. D'Alessandro, com certeza será lembrado para a posteridade como um dos melhores jogadores que vestiram a camisa vermelha. Dentre as conquistas mais relevantes estão 4 gauchões (2009, 2011, 2012 e 2013), 1 copa Suruga Bank (2009), 1 Recopa Sulamericana (2011), 1 Copa Sulamericana (2008) e 1 Copa Libertadores (2010).

domingo, 19 de maio de 2013

Fernando Carvalho

Fernando Carvalho iniciou a sua tragetória como dirigente do Inter em 1982 e atuou em diversos setores do clube, entre eles o comando do futebol as categorias de base nos anos 80 e 90. Mas foi  em 2002 que conseguiu alcançar a presidência do clube. Em 2002 foi da glória com o título gaúcho ao desespero no final do ano com a possibilidade real de rebaixamento no final do campeonato brasileiro. Após o maior susto da gestão, foi campeão em 2003, 2004 e 2005, tornando-se tetracampeão gaúcho. O destino reservou a maior glória para o ano de 2006, quando cravou o seu nome como maior presidente do Inter de todos os tempos, após conquistar nossa primeira Libertadores e o Mundial de clube no Japão. Fernando Carvalho voltou em 2010 para comandar o vestiário no bicampeonato da Libertadores.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Abel Braga

Abel braga tem uma longa relação com o Internacional. Já em 1988 e 1989 treinou o colorado pela primeira vez ficando com o vice-campeonato brasileiro em 88 e caindo nas semifinais da libertadores de 89. Voltou na temporada de 95 e pouco pode fazer. Mas o seu momento estava guardado, e em 2006 a história fez justiça ao seu grande talento como treinador de futebol, quando Abel conquistou os principais títulos do clube comandando o time à beira do gramado. Marcado pelo seu estilo motivador, Abel Braga ficará para sempre no coração dos torcedores colorados.

domingo, 12 de maio de 2013

Figueroa

"A grande área é minha casa. Aqui só entra quem eu quero". Essa frase célebre marcou a passagem do maior zagueiro da história do Inter. Don Elias chegou em 1971 e ficou até 1976, conquistando seis títulos gaúchos na sequencia além do Bicampeonato nacional em 1975 e 1976. Toda sua elegância ficou eternizada em um lance da final do brasileirão de 1975, quando em meio a um único raio de sol de uma tarde nublada, subiu para marcar de cabeça o gol do título contra o Cruzeiro no Beira-Rio. O gol iluminado passeia na memória dos colorados para sempre.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Iarley

Iarley chegou a Inter em 2005 e encaixou como uma luva na formação do time que iria ser campeão mundial um ano e meio depois. Seu espírito guerreiro e de liderança técnica dentro de campo marcaram a sua passagem pelo clube. Isso ficou evidenciado e marcado na memória dos torcedores na vitória sobre o Barcelona no Japão, quando assumiu o papel de líder após Fernandão deixar o gramado. Foi dele a assistência para o gol mais importante na história do Internacional. Em três anos de clube (2005 a 2008), conquistou a Tríplice Coroa (Libertadores, Mundial e Recopa), a Dubai Cup e o campeonato gaúcho em 2008.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Leandro Damião

Leandro Damião é um caso raro de sucesso para um jogador que não teve os fundamentos de base de um clube profissional. Damião saiu dos campos da várzea da periferia de São Paulo para se destacar no campeonato catarinense defendendo o Atlético de Ibirama. Em 2009 chegou ao Inter e em 2010 já era aproveitado no time profissional, chegando a fazer um gol na final da Libertadores contra o Chivas no Beira-Rio. A partir daí sua acensão foi meteórica, conquistando vários títulos pelo Inter, incluindo a Libertadores (2010), a Recopa (2011) e o Tricampeonato gaúcho (2011, 2012 e 2013).

sábado, 4 de maio de 2013

Ênio Andrade

Seu Ênio, como ficou conhecido nos bastidores do Beira-Rio, era um técnico com a cara do Internacional. Arrojado, conhecedor de futebol, Ênio Andrade ficou conhecido pela capacidade de mudar o panorama de uma partida com placar desfavorável. Foi assim em 1979 na campanha do tri-invicto, quando levou o Inter a um feito inédito até os dias de hoje. Em 23 jogos, 17 vitórias e 6 empates, Ênio Andrade colocou seu nome no rol dos maiores treinadores do Internacional. Treinou o Inter em mais três oportunidades e teve sucesso em vários outros clubes do Brasil como Cruzeiro, Coritiba e Palmeiras.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Teté

José Francisco Duarte Junior, ou simplesmente Teté foi um técnico notável que treinou o Inter nos anos 50. Teté teve a tarefa de montar um time logo após o desmanche do Rolo Compressor dos anos 40. Fez isso com muita maestria e, contando com jogadores do quilate de Larry, Bodinho, Salvador e Milton Vergara, montou o Rolinho, time que foi tetracampeão gaúcho (1950 a 1953) e campeão em 1955. Em 1956, Teté teve a honra de treinar a seleção brasileira na conquista do Panamericano do México com a base do time praticamente toda colorada. Teté era oficial da reserva do exército por isso era chamado de "O marechal das vitórias"

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Carpegiani

Paulo César Carpegiani chegou ao Inter em 1970. Originalmente jogava futebol de salão em Erechim e com muita habilidade, domínio de bola, visão de jogo e passes perfeitos, encaixou no timaço dos anos 70. Juntamente com Falcão e Caçapava, Carpegiani era o toque de classe que dava ritmo e um toque de classe ao inesquecível meio campo colorado da década de 70. P.C. Carpegiani participou da conquista de sete campeonatos gaúchos do octacampeonato (1969 a 1976) e foi bicampeão brasileiro (1975 e 1976) com a camisa vermelha.